Portal de Paulinia | O seu Jornal on-line

Qui27112014

Entrar emCONTATO

Back Destaques Notícias em Destaque Atentado às Torres Gêmeas completa 11 anos

Atentado às Torres Gêmeas completa 11 anos

Norte-americanos se lembram do maior ataque terrorista da história da naçãoO atentado terrorista às Torres Gêmeas, em Nova Iorque, completa nesta terça-feira, 11 anos. O ataque realizado por dois aviões é considerado o maior da história do país, deixando 3 mil mortos e destruindo o World Trade Center, então importante prédio comercial.

Se em 2011 a cerimônia no local onde ficavam as torres contou com a presença do presidente Barack Obama, em meio ao impacto do décimo aniversário dos ataques e da eliminação de Osama bin Laden em maio daquele ano, nesta ocasião o ato não terá tantas novidades e preparativos.

O chefe de Estado e sua esposa, Michelle Obama, lembrarão a tragédia em Washington com um minuto de silêncio na Casa Branca e com uma visita ao Pentágono, onde caiu um dos quatro aviões sequestrados por membros da rede terrorista Al-Qaeda, na manhã de 11 de setembro.

Seguindo com as celebrações desta terça-feira, o vice-presidente Joe Biden viajará a Shanksville, na Pensilvânia para prestar homenagem às vítimas do voo 93 da United Airlines, que caiu perto dessa localidade depois de os passageiros e a tripulação terem enfrentado os sequestradores.

Em Nova Iorque, onde dois aviões se chocaram contra o World Trade Center, a cerimônia será realizada no National September 11 Memorial Plaza, inaugurado no ano passado no local dos ataques no sul de Manhattan.

Como vem ocorrendo desde o primeiro aniversário, familiares das vítimas lerão em ordem alfabética os nomes das pessoas falecidas nos ataques de 2001 assim como dos seis mortos no atentado contra o World Trade Center em 1993.

Serão respeitados seis minutos de silêncio, dois para marcar os momentos em que os aviões atingiram as torres, dois para lembrar o desabamento destas e outros dois para marcar o momento do ataque ao Pentágono e da queda do voo em Shaksville.

O prefeito de Nova Iorque, Michael Bloomberg, vai liderar a cerimônia, embora não haja um discurso previsto.

À medida que os anos passam, cresce também a tensão entre as famílias das vítimas, que veem o memorial de Manhattan como um "lugar sagrado", e o grande público, que se mostra cada vez mais disposto a virar a página.

A polícia, os agentes de segurança e os guias voluntários se encarregam de manter o respeito às regras de boa conduta nesse espaço arborizado, onde foram construídas duas enormes piscinas negras (para cada um dos prédios das Torres Gêmeas) com os nomes das vítimas escritos em nas bordas.

Reveja o atentado:

Atentado às Torres Gêmeas completa 11 anos