Sex29082014

Entrar emCONTATO

Back Destaques Notícias em Destaque 30% das praias paulistas estão impróprias para banho

30% das praias paulistas estão impróprias para banho

As condições de balneabilidade de Mongaguá, também na Baixada Santista, são igualmente ruins. Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cesteb), 48 praias do litoral estão inadequadas para banho, neste mesmo período do ano passado, eram 31. As praias de Santos, São Vicente e Praia Grande, apresentam as piores condições de banho neste fim de ano, com bandeira vermelha em todas as praias.

As condições de balneabilidade de Mongaguá, também na Baixada Santista, são igualmente ruins. Apenas um ponto de sua orla está liberado pela Cetesb, que faz o acompanhamento de seis locais da faixa de areia da cidade. A situação de Itanhaém e Peruíbe é ligeiramente melhor, assim como a do Guarujá, onde somente um endereço da Praia da Enseada tem o sinal de alerta - no Perequê, o movimento de barcos afasta veranistas.

Os turistas que optar em passar o feriado nas cidades do litoral norte vão encontrar quase todas as praias limpas e próprias para o banho. De acordo com a Cetesb, apenas 10 dos 83 pontos de medição têm bandeiras vermelhas neste réveillon. O índice é de 12%, menos da metade da média paulista. Ilhabela é proporcionalmente o município com a melhor condição da região: só uma das 13 praias não tem condições de banho, ou 7% do total.

Já Ilha Comprida e Iguape, ambas no litoral sul, estão completamente liberadas, assim como Bertioga, na Baixada Santista. Nas três cidades, todas as praias são consideradas próprias pelo órgão ambiental do Estado. As análises são feitas semanalmente, durante todo o ano. O índice utilizado, de balneabilidade, revela qual é a condição da praia em possibilitar o banho e atividades esportivas em suas águas de forma saudável.

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE

 

Nesta sexta-feira, a região sudeste da Índia sofreu fortes chuvas e ventos por causa da passagem do tufão Thane, derrubando paredes e cabos elétricos. Seis pessoas morreram. O ciclone causou grande estrago na região, com ventos de até 135 km/h que causou ondas de até 1,5m, fazendo moradores de aldeias da costa a buscarem refúgio em albergues. Uma vez em terra, logo a tempestade perdeu força, e seus ventos caíram para 75 km/h.

Autoridades locais disseram que seis pessoas morreram em diversas aldeias, principalmente atingidas por paredes que caíram ou eletrocutadas, e que a prioridade agora é restaurar o abastecimento elétrico e resolver outros danos à infraestrutura.

Meteorologistas disseram que o Thane, depois de avançar pela baía de Bengala e chegar à costa na hora do alvorecer, ainda pode atingir o Estado vizinho de Andhra Pradesh, mas com menor intensidade.

Há previsão de chuvas fortes durante 12 horas, e os ventos devem diminuir para cerca de 45 km/h até o final do dia, segundo o último boletim meteorológico.

A temporada de ciclones na Índia geralmente dura de abril a dezembro, e causa dezenas de mortes todos os anos, além de devastar lavouras, destruir propriedades e deixar dezenas de milhares de desabrigados.

Em 1999, um superciclone na costa de Or Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin-top:0cm; mso-para-margin-right:0cm; mso-para-margin-bottom:10.0pt; mso-para-margin-left:0cm; line-height:115%; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin;}

Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cesteb), 48 praias do litoral estão inadequadas para banho, neste mesmo período do ano passado, eram 31. As praias de Santos, São Vicente e Praia Grande, apresentam as piores condições de banho neste fim de ano, com bandeira vermelha em todas as praias.

As condições de balneabilidade de Mongaguá, também na Baixada Santista, são igualmente ruins. Apenas um ponto de sua orla está liberado pela Cetesb, que faz o acompanhamento de seis locais da faixa de areia da cidade. A situação de Itanhaém e Peruíbe é ligeiramente melhor, assim como a do Guarujá, onde somente um endereço da Praia da Enseada tem o sinal de alerta - no Perequê, o movimento de barcos afasta veranistas.

Os turistas que optar em passar o feriado nas cidades do litoral norte vão encontrar quase todas as praias limpas e próprias para o banho. De acordo com a Cetesb, apenas 10 dos 83 pontos de medição têm bandeiras vermelhas neste réveillon. O índice é de 12%, menos da metade da média paulista. Ilhabela é proporcionalmente o município com a melhor condição da região: só uma das 13 praias não tem condições de banho, ou 7% do total.

Já Ilha Comprida e Iguape, ambas no litoral sul, estão completamente liberadas, assim como Bertioga, na Baixada Santista. Nas três cidades, todas as praias são consideradas próprias pelo órgão ambiental do Estado. As análises são feitas semanalmente, durante todo o ano. O índice utilizado, de balneabilidade, revela qual é a condição da praia em possibilitar o banho e atividades esportivas em suas águas de forma saudável.

issa (leste) provocou 30 horas de ventos fortes, que chegavam a até 300 km/h por hora, e matou 10 mil pessoas.

As autoridades de Tâmil Nadu disseram que ainda é cedo para avaliar os danos e saber se é preciso enviar ajuda humanitária. Estima-se que 80 mil pessoas vivam em áreas litorâneas baixas na região.

O ativista humanitário Joseph Sahayam, da ONG Igrejas Auxiliares pela Ação Social, disse que há estradas bloqueadas devido à queda de árvores, e que alguns lugares estão sem luz e telefone. "Casas de barro e palha ao longo da costa também supostamente sofreram danos", acrescentou.

O tufão deve ter causado danos também a lavouras de arroz, amendoim e milho em Tâmil Nadu e Andhra Pradesh.

30% das praias paulistas estão impróprias para banho